Meus amigos

Sua IMPRESSORA passo a passo.

De todos os problemas da impressora, 90% vêm da sujeira; aprenda a limpar a sua. O papel começa a "engasgar", a tinta falha e o barulho na hora do funcionamento beira o insuportável. Esses são apenas alguns dos sinais que mostram que a impressora não vai bem.
Antes de reclamar com o fabricante, é bom checar se tudo isso não está acontecendo por conta da sujeira acumulada no equipamento. Segundo Mauricio Schorsch, coordenador dos cursos de TI do Senac Consolação, 90% de todos os problemas causados em impressoras, principalmente as do tipo jato de tinta, são decorrentes de poeira grudada nas engrenagens do equipamento.
A sujeira dificulta, por exemplo, a passagem do carro de impressão —que armazena os cartuchos. Além disso, pode comprometer o óleo que lubrifica as engrenagens, o que acarreta problemas em outras peças internas e barulho exagerado na hora da impressão", explica Schorsch.
O ideal, para quem usa o equipamento esporadicamente (uma vez por semana), é que a impressora, caso seja do tipo jato de tinta, seja limpa uma vez por ano. Se o uso for freqüente, esse tempo deve ser reduzido para seis meses.
No caso dos modelos a laser, o tempo pode ser estendido. O ideal é que a cada troca de tonner seja feita a manutenção —ou, no caso de o equipamento não ser muito utilizado, a cada dois anos.

Limpeza interna

A limpeza interna de impressoras não é uma tarefa tão fácil de ser feita como a de um gabinete, por exemplo. "Existem diversas peças no equipamento que são difíceis de serem encaixadas e que custam caro. Se quebrarem, consertar ficará mais caro do que pagar a um técnico por uma limpeza profissional", explica Schorsch.
Para se ter uma idéia, a limpeza de uma impressora do tipo jato de tinta custa entre R$ 50,00 e R$ 70,00. Já o carro de impressão —onde ficam armazenados os cartuchos— sai por R$ 80,00.
Mas isso não significa que o usuário fica de "mãos atadas" em relação ao equipamento. Problemas corriqueiros, em cartuchos ou com excesso de tinta, podem ser consertados com medidas simples.
Se no meio da impressão daquele relatório (que já deveria ter sido impresso há duas horas), as folhas aparecerem com manchas de tinta, é possível abrir a impressora e limpar a área responsável por absorver a tinta extra que saiu dos cartuchos.
"Neste caso, basta posicionar os cartuchos no centro da impressora [como se fosse trocá-los], desligá-la e, com a ajuda de cotonete e álcool isopropílico, limpar a área que armazena o excesso de tinta".
O uso de aspiradores ou pincéis também é pouco aconselhado para limpeza. Nas impressoras, a poeira geralmente fica presa a lugares com óleo ou tinta, o que dificulta a sua retirada. Nesse caso, um pano seco apenas em volta dela já é suficiente. Sujeiras mais "impregnadas" nas engrenagens devem ser retiradas por pessoas especializadas.
Aprenda a limpar cartuchos de impressoras

Limpeza externa
Já a faxina na parte exterior do equipamento é uma tarefa bem mais fácil. Um pano úmido e um limpador multiuso são as duas únicas ferramentas necessárias para tanto. Produtos com solventes devem ser evitados.
Itens reunidos, hora de iniciar o trabalho: para limpar a impressora, basta passar o pano sobre suas partes empoeiradas. Tenha cuidado para não encharcá-lo, seja com água ou com limpador, para que o líquido não escorra para dentro da impressora.
Se você costuma usar o equipamento poucas vezes durante a semana, cubra-o com um plástico ou tecido. Assim, é possível evitar que a poeira do ambiente vá parar nas engrenagens da impressora, principalmente se ela for do tipo jato de tinta.

SCANNER

Scanner é um dos periféricos mais fáceis de limpar no PC diferentemente da impressora e do computador, a limpeza do scanner não tem nenhum segredo. Entre os periféricos do PC, o copiador é o mais fácil de manter limpo —já que tem poucos orifícios por onde a poeira pode entrar. Mas, assim como a impressora, não é recomendado que o usuário se aventure a abrir o equipamento. 

De acordo com Vagner Issei, da S.O.S Computadores, passar um pano umedecido com limpador multiuso na parte plástica e uma mistura de água e álcool isopropílico no vidro— onde colocamos os documentos a serem digitalizados— já é suficiente para prolongar a vida útil do equipamento.

Só tome cuidado para não passar um pano muito molhado no vidro, para não manchá-lo, ou na parte plástica, para que a água não entre no interior do scanner", adverte Issei. 

Vida longa ao periférico
Mas limpar apenas a parte externa do equipamento não é suficiente para garantir a longevidade do scanner. Algumas tarefas fáceis de serem cumpridas durante o processo de cópia também são necessárias. Confira algumas delas. 
Antes de digitalizar qualquer documento remova itens desnecessários, como clipes de papel e grampos, para evitar que o papel fique preso ao scanner. 
Use fitas com superfície áspera para unir papéis ou colar adesivos no documento original, permitindo que o alimentador os aceite mais facilmente. Nunca utilize colas. 
 Procure digitalizar documentos grandes em partes para que não ultrapassem a área permitida por cada um dos modelos de equipamento. 
Manter os cartuchos em ordem reduz problemas na hora da impressão
Os cartuchos de impressoras do tipo jato de tinta são uma das poucas peças em que o usuário leigo pode mexer sem correr o risco de danificar o equipamento.
Por sorte, também, boa parte dos problemas que acontecem na hora da impressão —principalmente as emergenciais—, como falhas e manchas nas folhas, podem ser consertados com procedimentos simples, feitos direto no cartucho.
As falhas na impressão, por exemplo, podem acontecer por conta de tinta seca no cartucho. "Quando ficamos muito tempo sem utilizar a impressora, é comum a tinta secar", explica Vagner Issei, da S.O.S Computadores.
O procedimento mais simples, a princípio, é executar os passos oferecidos pelo software que acompanha o equipamento. Com ele, pode-se alinhar a cabeça de impressão, verificar os jatos de tinta e, até mesmo, trocar cartuchos.
Em regra geral, o programa difere um pouco entre fabricantes e também entre modelos. Mas é possível encontrar boa parte dessas tarefas em todos os equipamentos. Para acessá-lo, é preciso ir até a área de gerenciamento de impressão (No "Iniciar" > "Impressoras e fax" > "Escolha a impressora"), clicar em "Propriedades" e seguir os passos indicados pelo programa.


Mão na massa
Se mesmo seguindo os comandos oferecidos pelo software do equipamento, a impressão ainda sair com falhas, é hora de usar alguns truques para tentar desobstruir a passagem da tinta.
O primeiro passo é retirar o cartucho do carro de impressão. Depois, pegue um pano levemente umedecido com água e passe na área onde sai a tinta. Nessa hora, tome cuidado para não colocar as mãos nos conectores que ficam no cartucho. Caso isso aconteça, passe uma borracha branca sobre ele.
Em cartuchos da Epson, também é possível passar um cotonete na área onde sai a tinta. Mas apenas nas bordas.
"Outra dica que, embora não recomendada pelo fabricante, dá resultado é colocar a saída de tinta do cartucho Epson próxima a um recipiente com água quente. Assim, o vapor ajuda a amolecê-la", explica Mauricio Schorsch, coordenador dos cursos de TI do Senac Consolação.
Vale ressaltar que, mesmo depois de tais procedimentos, é recomendado executar o passo a passo oferecido pelo software para limpar e alinhar a cabeça de impressão.
Tonner para laser
As impressoras a laser trazem menos problemas que as do tipo jato de tinta, mas tentar consertar sozinho os que aparecem podem acabar saindo mais caro do que enviá-la a um técnico (o custo fica entre R$ 100,00 e R$ 150,00).
Em caso de falha de impressão, uma dica dada por Vagner Issei, da S.O.S Computadores, é retirar o tonner e chacoalhá-lo. "Às vezes o pó para impressão se aglomera e é preciso separá-lo". Contudo, se aparecer uma tarja preta de fora a fora na folha impressa, o problema não está no cartucho e é preciso encaminhar o equipamento para a assistência técnica.



Nenhum comentário:

Postar um comentário