Meus amigos

Mitos e Verdades 2


Leite combate gastrite. (MITO)
Uma antiga prática médica que foi derrubada pelos avanços da medicina. Segundo Flávio Ejima, a ingestão de leite foi usada por vários anos como tratamento de doenças pépticas, mas não deve ser ingerido como medicamento. O leite aumenta a secreção ácida devido ao seu alto teor de cálcio. O tratamento de gastrite deve ser realizado com medicações depois de avaliação médica.

Margarina é melhor do que manteiga. (MITO)
A manteiga, por ser derivada do leite de vaca, é considerada uma fonte muito rica de gorduras saturadas — que foram consideradas componentes que contribuem para o surgimento de doenças cardiovasculares. A indústria, então, começou a modificar a composição química e estrutural das gorduras, por meio da hidrogenação das moléculas do óleo vegetal. Assim, chegaram à margarina, que tem consistência semelhante à da manteiga. Anos mais tarde, no entanto, pesquisas revelaram que as modificações feitas no ácidos graxos (conhecidas por cis-trans) também estão associadas às doenças cardiovasculares. ‘‘O ácido graxo modificado tem comportamento metabólico semelhante ao das gorduras saturadas’’, explica a professora titular de Nutrição da Universidade de Brasília (UnB). Portanto, margarina não baixa colesterol. ‘‘O importante é diminuir a quantidade de ambas nas refeições.’’

Medicamentos naturais provocam efeitos colaterais. (VERDADE)
Todo e qualquer medicamento provoca efeitos colaterais. No caso dos naturais, esses efeitos são menores. O médico Francisco Vieira de Souza, especialista em medicina natural e acupuntura, diz que os fitoterápicos apresentam um grau de efeito colateral 30% menor do que os remédios alopatas. Porém, só devem ser usados com acompanhamento médico para evitar complicações de saúde. Ele cita como exemplo o caso da cáscara sagrada, que possui efeito laxante. Se for usada em excesso, causa problemas gastrointestinais.

Chocolate vicia. (VERDADE)
Sim, o chocolate vicia de verdade. E não é apenas pelo seu delicioso sabor. Mas, principalmente, pelas substâncias que contém e que levam o organismo a criar dependência com o produto. Pesquisas científicas demonstram que existem mais de 300 substâncias diferentes no chocolate. Entre elas, estão as xantinas, responsáveis pelo surgimento da sensação de bem-estar, relaxamento e ânimo logo depois da ingestão de um pedaço de chocolate. Também estão presentes os carboidratos e as gorduras, que interferem diretamente na produção de serotonina e endorfina — substâncias que também provocam prazer e alegria. O problema é que todo esse ânimo acaba e leva a pessoa, a seguir, para um estado de depressão e desânimo. ‘‘Para ficar bem de novo, a pessoa vai comer mais chocolate. É aí que o vício se estabelece’’, explica o presidente da Associação Psiquiátrica de Brasília e especialista em tratamento de compulsões, Antônio Geraldo.

Pele oleosa envelhece menos. (VERDADE)
Uma pessoa de pele oleosa envelhecerá menos do que uma pessoa de pele muito clara e seca, se ambas tiverem uma fotoexposição semelhante. Mas é importante observar que o principal elemento determinante do envelhecimento cutâneo é o grau de exposição solar recebido pela pele ao longo da vida. ‘‘É o sol em excesso, mais do que o ressecamento de uma pele, que determinará o grau de seu envelhecimento’’, explica o dermatologista Francisco Leite. Assim, uma pele seca protegida envelhecerá muito menos do que uma pele oleosa exposta ao sol sem proteção. E ainda mais: o uso de filtros solares, que geralmente são hidratantes, é mais tolerado pelas peles secas do que pelas oleosas — essas apresentam mais erupções e só toleram filtros em gel (em que o protetor dura menos tempo) ou com menor fator de proteção solar (pois são menos oleosos).
Chupetas e mamadeiras fazem bem à saúde do bebê. (MITO)
Uma medida prática para os pais, mas que não traz nenhum benefício aos filhos. A pediatra Sônia Salviano, coordenadora do Banco de Leite Materno do Hospital Regional de Taguatinga, explica que os bicos das chupetas e mamadeiras dificultam a amamentação, pois o bebê perde a sua capacidade de sucção do peito. Também causa má formação dos dentes, problemas de fala e até cáries. Uma pesquisa da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto, analisou as chupetas de 30 crianças: todas estavam contaminadas.

Antidepressivos causam dependência. (MITO)
Para a raiva e fúria dos psiquiatras, muitos pensam que os antidepressivos causam dependência em seus usuários. Errado! Não existem remédios contra a depressão que sejam de tarja preta (a que distingue os medicamentos que podem causar dependência). O que acontece é um mau uso do termo ‘‘antidepressivo’’. Alguns remédios de tarja preta — como os ansiolíticos e os benzodiazepínicos — usados para combater quadros de ansiedade aguda, são erradamente chamados de antidepressivos. ‘‘O uso inadequado do nome gera má fama desses medicamentos’’, explica o presidente da Associação de Psiquiatria de Brasília, Antônio Geraldo. Ele diz que essa reputação costuma atrapalhar o tratamento de muitas pessoas, pois elas têm medo de ficar viciadas no remédio.

Alergia tem cura. (MITO)
O alergista Alexandre Aires, do Hospital Universitário de Brasília, diz que a ciência ainda não encontrou uma cura milagrosa e definitiva para as crises alérgicas, sejam respiratórias, alimentares ou de pele. A prevenção é o melhor remédio. Segundo ele, a alergia é uma reação violenta do organismo a substâncias que ele considera agressivas. A cada novo contato com elas, o corpo produz mais anticorpos. Elas se acumulam, o que faz com que a reação se intensifique ao longo do tempo. Se a pessoa se afasta de tais substâncias, sejam poeira, alimentos ou fungos, não ocorrem novas crises. O melhor tratamento é descobrir as causas e evitá-las.

Nenhum comentário:

Postar um comentário