Meus amigos

Homens - como se vestir bem


Homem elegante e bem-vestido é aquele que se apresenta com a roupa certa em reuniões, eventos e atividades profissionais, de acordo com a situação, ocasião e função que exerce. Um lapso na forma de se vestir pode comprometer todo o sucesso profissional.

O executivo bem-sucedido, além de ter bom gosto e senso crítico com relação a sua postura, personalidade e forma de ser, evita em seu guarda-roupa cores berrantes e chamativas. O certo é optar por tons clássicos e sóbrios, que nunca saem de moda e não comprometem a produção visual.

Muitos homens reclamam do terno e da gravata, e justificam este descontentamento dizendo que se sentem sufocados ou que sofrem com o calor do verão. Independente do motivo da insatisfação ou do descontentamento, dependendo da posição hierárquica ou da profissão, o terno e a gravata continuam despertando nas mulheres encanto e sedução. Nove entre dez preferem homens de terno e gravata pelo charme, pela sedução e pela masculinidade que transmitem. Sem falar que esse traje continua sendo sinônimo de respeito, seriedade e profissionalismo.

Existem alguns truques para usar terno sem passar por apertos. O verão, por exemplo, pode ser perfeitamente superado sem grandes problemas graças ao tecido de microfibra, às camisas de algodão, aos cortes esportivos, tecidos leves e cores suaves. A composição harmônica e perfeita é aquela que combina o estilo com o jeito de ser do homem, seja ele tradicional ou moderno.

Saiba o que significa cada traje no guarda-roupa de um homem:

Terno tradicional: Conjunto composto de três peças em padrão único: paletó, colete e calça. É uma ótima opção para homens que possuem um estilo mais clássico.

Blaizer: O blaizer cai bem em qualquer tipo de compromisso mais informal, a qualquer hora do dia. Combina tanto com quem tem um jeito descontraído de ser, como com quem gosta do estilo elegante de se vestir.

Costume: Conjunto de paletó e calça. Combina com qualquer estilo e pode ser usado em situações informais. 

Acessorios Masculinos

Lenço de bolso: Pode ser de seda ou de linho, em cor vistosa. A sua função é realçar o conjunto, mas nunca deve ser igual a gravata. Há diversos modelos e formas de usá-lo, e para que não fique solto dentro do bolso, aconselha-se prendê-lo com um alfinete por dentro.

Suspensório: Assim como o lenço de bolso, deve ser em cores alegres e não deve seguir a mesma estampa da gravata. A sua utilidade é segurar a calça, assim como o cinto, por isso ao usar um não se usa o outro. Dê preferência ao tipo de suspensório que abotoa por dentro da cintura da calça. O abotoamento pode ser mais trabalhoso, porém, é mais seguro do que os suspensórios com prendedores metálicos.

Relógio de bolso: Pode ser uma marca de um estilo pessoal. Deve ser usado em cerimônias extremamente formais, em que o uso do relógio de pulso se torna inadmissível.

Meias: Precisam cobrir as canelas e não devem ficar em evidência, por isso devem combinar com a cor do sapato ou da calça. Jamais combine as meias com a cor da camisa, tampouco da gratava. Em nenhuma hipótese use meias brancas e/ou atoalhadas com roupa social.

Sapatos: Quando em mau estado, surrados, sujos ou em péssimas condições de uso, podem destruir o efeito do visual e da produção. Devem estar sempre engraxados e vistosos. A elegância começa pelos pés, e é pelos sapatos que se traça o perfil da personalidade masculina.

Sapatos clássicos em couro: São excelentes para serem usados com ternos e roupas mais formais. As cores básicas são o preto e o marrom, esqueça o cinza, o bege e os sapatos de duas cores. Sapato branco deve ser usado apenas por médicos ou profissionais que trabalham vestidos de branco.

Sapatos de estilo inglês: Com fivelas, franjas ou pespontos. Tanto os de amarrar ou quanto os tradicionais cabem em todas as situações.

Cintos: Para os cintos vale seguir a mesma regra de cores dos sapatos. As cores básicas são o preto e o marrom e devem sempre combinar com os sapatos.

Cintos tressés (entrelaçados): Compõem o estilo de moda que Compõem o estilo da moda.

 Perfume demais atrapalha
Mulheres que desejam ter um bom desempenho em uma entrevista de emprego devem, antes de sair de casa, olhar bem no espelho. Tailleur, cabelos curtos, meia fina. Pronta? Não. "A mulher peca em geral pelo exagero", afirma a vice-presidente do Grupo Catho e coordenadora da pesquisa sobre o figurino ideal dos executivos, Silvana Case.

Se o clássico tailleur estiver marcando o quadril, melhor trocar. Não se deve usar nada que chame a atenção para a beleza feminina. "A mulher candidata não deve chamar a atenção para os seus dotes pessoais e sim para o seu potencial profissional", diz Silvana.

Resolvido o problema do quadril - que exige a eliminação de tecidos colantes - é preciso pensar no decote. Profundos estão fora. Transparências nem pensar.

Mas não acabou. Unhas longas e pintadas de cores fortes causam, em geral, impacto profissional ruim. Melhor tirar jóias e bijuterias que possam estar em excesso, assim como lenços misturados com colares. A maquiagem deve ser leve e discreta. A tintura do cabelo não pode ter falhas nem ser berrante.

As jovens devem esquecer os anéis muito grandes e para os dedos dos pés, as sopreposições de bijuterias e os muitos furos na orelha. Tatuagens devem ser cobertas. Elásticos coloridos e outros adereços de cabelo devem ficar na gaveta. É preciso cuidado com as sandálias para não parecer esportiva ou social demais.

"Elegância e discrição". Essa é a fórmula do mundo dos negócios, ensina Silvana. Mas não apenas para cargos altos. "Para uma operária, as regras são as mesmas, pois ela deve parecer confiável e competente". Só no ramo das artes e da criação a lógica muda um pouco.

Depois de considerar todos esses itens, a mulher agora está pronta para a entrevista, certo? Talvez não. É que 9 entre 10 mulheres, a essa altura, cometeram o pecado de exagerar no perfume. E, 9 entre 10 entrevistadores não suportam futuras funcionárias muito perfumadas. (L.P.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário