Meus amigos

Guia de cuidados com os filhotes.


Bem vindo ao maravilhoso mundo de seu cão.
À primeira vista, ele é somente uma criatura indefesa. Mas ao receber este pequeno ser em sua casa, você estará adentrando um universo cheio de novas experiências. Desde agora, seu cão será algo muito especial em sua vida, porém, não tanto como você será na vida dele.
Porque para ele, você é o centro do universo, tudo o que necessita para ser forte, saudável e feliz, do carinho que anseia e o faz crescer, do conforto e bem-estar físico que você lhe oferece.
Ao trazê-lo para casa, você também está adquirindo um compromisso.
1 - A escolha de um amigo.
* A escolha de seu companheiro(a) deve ser consciente para que, ao se desejar um animal com determinadas características, não se crie um problema escolhendo outro que não tem essa como ponto forte.
* O cão deve ser visto como ele de uma cadeia de cuidados e serviços que tornam adequados à nova vivência.
* O rottweiler, é um cão de qualidades inigualáveis, seja pela robustez, força, temperamento e beleza, características estas que necessitam a cada dia serem trabalhadas.

2 – Fatores a serem considerados.

• Espaço disponível: cães grandes necessitam espaços mínimos que precisam ser respeitados. Um apartamento pode servir para algumas raças de cães pequenas e médias, mas não para cães grandes;
• Companhia permanente: cães não devem ficar períodos longos sozinhos, quando se viaja planeje a companhia do animal;
• Compatibilidade: trazidos para dentro de uma família precisam ser aceitos por todos da casa, não somente pelo seu “dono”;
• Condições econômicas: um cãozinho gera despesas de magnitude variável, como alimentação, veterinário e eventualmente hospedagem.

 3 – Alguns preparativos para a chegada do novo integrante da família.

Aproxima-se o grande momento, seus preparativos finais devem começar adaptando sua casa para a nova chegada. Mas sempre existem incidentes inesperados. Não espere que aconteçam. Melhor guardar seus sapatos e outros objetos que possam ser mordidos, em local seguro.
Certifique-se de que os produtos perigosos estejam fora de alcance. Alvejantes, detergentes, desinfetantes, fertilizantes, venenos para baratas, formigas e ratos: todos são potencialmente mortais.
Tampouco deixe-o perto de objetos cortantes ou perfurantes como pregos, grampos, tachinhas. Alfinetes ou latas.
Não deixe brincar com sacos plásticos que podem provocar asfixia.
Tire da tomada, retire ou cubra qualquer cabo elétrico.
Muitas plantas interiores também podem ser perigosas (o filodrendro, a hera inglesa, a difenbachia, o caladium) e também algumas plantas exteriores (as espirradeiras).
Como medida de precaução, tenha muitos brinquedos próprios para mordiscar.

4 – Escolher um nome.

O ideal é escolher um nome curto e fácil de pronunciar antes de levar seu novo filhote para casa. Pode estar relacionado com a sua raça, estirpe, antecessores e com suas características ou personalidade. Também pode esperar alguns dias até que observe suas características especiais. E não confunda seu filhote mudando seu nome freqüentemente.

5 – Recomendações para os primeiros dias.

• Ensine sua família a maneira correta de segurar um filhote.
Deve-se colocar sempre uma mão embaixo de seu traseiro e outra embaixo de seu peito.
Nunca pegue-o pelas patas dianteiras ou pelo pescoço.

• Evite brincadeiras violentas.
Deixe-o fazer seus próprios progressos. Pode acontecer de serem necessários vários dias para sentir-se bem e brincar em casa.

• Não o canse em excesso.
Certas brincadeiras são divertidas e saudáveis. Mas ele precisa dormir muito tempo. Tenha sua cama pronta, em um local fixo e livre de correntes de ar. Faça-o saber que aquele local é dele.

• Faça-o esquecer a saudade.
Provavelmente ele se sentirá inseguro durante uma ou duas noites. Coloque uma garrafa com água morna (não quente) debaixo de sua manta onde ele deverá dormir, para que possa aninhar-se junto a ela. É um substituto do corpo da mão e dos irmãos. Além disso, o tic-tac de um relógio envolto a uma toalha é um bom substituto das batidas do coração da mãe.

6 – O alojamento.

Você precisará ter em mãos os seguintes objetos básicos antes que seu filhote chegue em casa:

• Recipientes de água e comida. Fáceis de limpar e suficientemente pesados para que não tombem e em tamanho adequado.
• Coleira e guia. As primeiras coleira e guia, devem ser de náilon ou couro muito leves e resistentes. Futuramente será necessária a troca das mesmas por outras mais fortes com fecho de segurança.
• Brinquedos recomendados. Ossos para morder. Objetos de náilon para morder. Bolas de borracha dura. Todos os brinquedos plásticos são divertidos e seguros. Não compre brinquedos de espuma nem com apitos ou outras partes anexas que possam separar-se e serem engolidas.
• Cama ou caixa para dormir. Será necessário uma cama cômoda ou uma caixa apropriada para dormir e estar. À medida que o cão cresça, a caixa deve crescer também. Instintivamente, os cães respeitarão sua própria cama. Exceto no caso de esquecer de levá-lo para rua em intervalos regulares, ou não ensinarem o local onde fazer suas necessidades.

Para isso, é fundamental treiná-lo desde o primeiro dia. Faça-o dormir na própria caixa ou cama. Para facilitar, mantenha-o em local abrigado para que sinta protegido e não sinta a falta da mãe e do restante da ninhada. Evite deixá-lo dormir em sua cama. Ao chegar à noite, o filhote deve saber qual é seu lugar.
Mantenha o ambiente calmo nos primeiros dias pois ele vai estranhar o local. Este é um momento em que as pessoas da casa devem ser pacientes e compreensivas. Em 3 ou 4 dias ele estará adaptado e deixará de chorar.

7 – A criação.

Criar um cão é muito mais do que dar-lhe de comer, abraçá-lo ou deixá-lo viver na sua casa. Existem situações que você deve estar a par para saber com enfrentá-las. Com paciência, você estabelecerá normas para este novo membro da família.

• Educação: É muito importante que o cão saiba seu nome e que responda quando o chama assim como esteja bem educado. E isto não é tarefa de um dia. A palavra é rotina. Significa que o cão tenha um horário para as refeições, os descansos, o exercício e os momentos de brincar. Que coma à mesma hora para educar seu aparelho digestivo. E também que saia à mesma hora.
Leve-o sempre a um lugar pré-determinado para que faça suas necessidades, antes e depois da brincadeira, quando desperte do descanso e ao deitar à noite. Não se limite a tirá-lo de casa e deixá-lo fora; leve-o você mesmo, anime-o com palavras como “vamos, depressa”. Em seguida, recompense-o com muitos elogios, volte a pegá-lo e leve-o para casa. Quando for maior (mais ou menos 3 meses), permita a ele dar passeios curtos depois de fazer suas necessidades; mas durante as primeiras semanas o melhor é pegá-lo, largá-lo, voltar a pegá-lo e encontra com ele; sem nada mais que possa confundi-lo. Logo aprenderá porque você o leva a este local.
“Antes de levá-lo para fazer suas necessidades na rua ou para passear, deve-se vaciná-lo. Também deve estar livre de parasitas, já que será mais difícil para um cão contaminado controlar os movimentos de seu intestino.”

• O método da caixa: O método da caixa consiste em uma caixa apropriada para dormir e estar que você pode comprar em uma loja para animais. Muitos criadores e treinadores recomendam este método. Seu filhote deve aprender que a “caixa” ocupa um lugar muito especial na sua rotina diária. Ele deve ver sua “caixa” como sua “casa”, sua pequena habitação onde dorme, descansa; o refúgio para onde vai quando esta só, e de onde o pega, para sair em certos momentos.

Também aprenderá a preferir sua caixa a qualquer cama. Enquanto você o treina, permita que ele percorra a casa. Mas somente se você estiver junto para vigiá-lo todo o tempo. É importante que nunca associe sua caixa de dormir com um castigo. È de se esperar que ocorram “acidentes”... é um bebê. Seja paciente. Limpe-o e use um neutralizante de odor . E nunca o castigue com gritos, pegando-o e golpeando-o com um jornal. Se você emprega o método da caixa, seu filhote pode estar educado ao fim de 4 a 6 semanas.
• Gritos, choramingos e mordidas: Se seu cão grita ou choraminga, talvez esteja tentando dizer-lhe algo. Pode ter fome, pode precisar sair ou talvez queira brincar. Se você intui o que ele quer ocupe-se disto. Durante o nascimento dos dentes, todos os cães mordem. Qualquer coisa pode ser uma presa. Sapatos, pés da mesa, etc. Não permita que isto se torne um hábito. Um “não” cortante lhe ajudará a não fazer disto um hábito; mas por precaução ponha a seu alcance brinquedos mastigáveis e seguros.

8 – A higiene.

• Banho: A maioria dos cães não gosta de tomar banho. Nem é necessário banhá-lo sempre. Dê banho só quando for necessário. Os banhos muito freqüentes podem ressecar a pele e pelagem. Utilize um shampoo de boa qualidade (para cães) recomendado por veterinário e certifique de enxugá-lo bem. Se preferir leve-o para tomar banho com profissionais das casas especializadas em animais.Procure dar banho em dias e horários mais quentes e seque muito bem, aproveite para verificar se há presença de parasitas externos como pulgas e carrapatos.
“Muito cuidado ao dar banho, para que não entre água dentro do ouvido do animal, pois pode causar sérios problemas de otite.” Procure limpar o ouvido apenas com um algodão embebido de álcool, retirando apenas as ceras em excesso.

9 – Alimentação.

Os filhotes devem ser alimentados com ração especial de filhotes, preferencialmente “Super Premium ou Premium” em média 4 vezes ao dia.

Evite alimentar o seu cão com resto de comidas, ou doces, salgados, a ração é um alimento completo para os cães, não sendo necessário outro tipo de alimentação.

Ao longo do tempo quando forem se desenvolvendo, reduz-se a alimentação a 3 vezes, até chegar à fase adulta quando deve-se alimentá-lo 2 vezes ao dia.
Lembre-se que os cães também sofrem por problemas de obesidade, que podem afetar o seu desenvolvimento, a alimentação deve ser ministrada de forma moderada e em particular a cada animal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário