Meus amigos

Dúvidas e mitos sobre a vasectomia



Apesar de delicada, a vasectomia é uma cirurgia simples, eficiente e a cada dia mais procurada por homens conscientes da importância de um planejamento familiar e interessados em um método seguro para não ter filhos.

O questionamento mais comum no consultório é: “vou ficar brocha?”. A resposta é não, e estas mesmas pessoas voltam e contam que seu desempenho sexual melhorou por estarem livres do fantasma de uma gravidez indesejada.

Um casal que está satisfeito com o número de filhos que tem, tendo um bom relacionamento entre si e depois de discutirem muito o assunto, podem chegar a conclusão que a vasectomia é o melhor método anticoncepcional a ser usado.

Como é feita
Ela é, na verdade, uma cirurgia simples, ambulatorial (não precisa de internação), feita com anestesia local, em que o paciente sai andando, necessitando de um repouso relativo por dois dias.

A operação em si trata-se da interrupção dos canais deferentes, por onde os espermatozóides produzidos nos testículos chegam até a vesícula seminal para se misturar a outros líquidos e serem eliminados em uma ejaculação.

É feito um corte de um centímetro de cada lado do escroto, pouco acima dos dois testículos. Pinça-se os canais deferentes, corta-se meio centímetro deles, isola-se as pontas e pronto. São dados poucos pontos na pele que serão eliminados espontaneamente.

Sem ter como sair dos testículos, os espermatozóides se transformam em corpos estranhos e começam a ser fabricados anticorpos imobilizantes e enfraquecedores destes espermatozóides para reabsorvê-los. Com o tempo, o indivíduo acaba se tornando estéril.
Altera algo no pênis?
Em relação ao pênis, tudo continua normal. O homem tem desejo, ereção, ejaculação e prazer do mesmo jeito que antes da cirurgia. O próprio esperma continua com a mesma aparência, textura e tudo mais. Só não conta com os espermatozóides, cuja exclusão era o objetivo da cirurgia. Portanto, bem sucedida.

Cuidados, doenças e preconceito
O único cuidado que o paciente precisa ter para garantir o êxito total da cirurgia é com as suas primeiras ejaculações pós-operatórias. Os médicos recomendam uma espécie de resguardo de um mês para relações completas, ou seja, com ejaculação interna (dentro da sua parceira) depois da cirurgia. Só estará liberado após fazer um espermograma para que se confirme o sucesso da vasectomia.

Todas as pesquisas realizadas no mundo todo até o momento não revelaram o aumento do aparecimento de qualquer doença nos homens vasectomizados, inclusive em relação ao câncer de próstata.

Nos países de primeiro mundo, a vasectomia é o procedimento mais estimulado dentro de políticas de planejamento familiar. Seu alto grau de eficácia, simplicidade e ausência de contra-indicações faz com que o estado crie todas as facilidades de acesso às pessoas conscientizadas da importância do controle populacional.

No Brasil, a cirurgia ainda é vítima de uma série de preconceitos, que vão desde os temores masculinos com relação à sua virilidade até a ação da Igreja, que condena os métodos contraceptivos .

Hoje de cada dez pacientes que entram no consultório de um especialista, muitas vezes encaminhados pelo próprio ginecologista da mulher, com a intenção de tirar dúvidas sobre a vasectomia, pelo menos sete a realizam, pelos motivos acima citados, que a tornam prática e eficiente como método anticoncepcional.

Reversão
A Vasectomia é reversível? Este é um assunto que envolve muita confusão. A vasectomia é reversível sim, porém, a taxa de sucesso da cirurgia de reversão pode variar muito, dependendo do caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário