Meus amigos

Dicas de Auto ajuda

COMO POSSO TER UMA AUTO-ESTIMA POSITIVA

Hoje, gostaria de falar um pouco sobre a auto-estima. Em primeiro lugar, gostaria de esclarecer ao leitor, que desequilíbrios e transtornos na auto-imagem levam ao excesso ou à falta de confiança em si mesmo, e ambos são prejudiciais ao desenvolvimento e construção de uma vida mais feliz.
Na verdade, o excesso de confiança em si mesmo, ou um ego inflado, mostra uma pessoa com a mesma ou maior fragilidade do que aquela que se mostra tímida, insegura e muito pouco à vontade consigo mesma. Se investigarmos mais profundamente, encontraremos em ambos os casos uma infância repleta de rejeição e abandono.
Conforme os anos vão passando e vamos crescendo, nos tornando adultos, fica reservado um espaço já tomado e preenchido por um sentimento de desamor por si mesmo. Mas, essa auto-imagem negativa que vai se formando a partir de sentimentos infantis, pode ser transformada a partir da autoconsciência e da determinação em transformá-la.
Como diz o Dalai Lama, "...é hora de arrancar a flecha, não de saber quem a atirou"... Ou seja, não importa mais quem feriu, quem provocou esse sentimento, ou por que você tem uma auto-imagem tão baixa, importa sim você se olhar de frente e se determinar a transformar esse estado de ser negativo para um estado mental mais positivo. 

Tenho insistido na capacidade que todos nós temos, ou deveríamos ter, em desenvolver características que muitas vezes não sonhamos adquirir. Como mencionei em matéria anterior, o cérebro é dinâmico, e sendo assim, podemos, através de uma atitude consciente, moldá-lo como a argila. O cérebro se acostuma a funcionar de determinada forma, e enquanto não o dominamos conscientemente, ele é moldado e dominado por nossos processos inconscientes.
Quando somos dotados de uma boa dose de auto-estima, somos mais ousados, mais corajosos, temos uma vontade de crescimento bem dosada, conhecemos nossos limites e sabemos respeitá-los.
Porém, quando nossa autoconfiança é abalada por uma má formação de nossa auto-imagem, temos muito medo de dar passos à frente, e muitas vezes perdemos a capacidade mais sublime que temos: a capacidade humana de sonhar.
Quando nossa auto-imagem não é bem clara a nós mesmos, quando o espelho no qual nos olhamos se encontra repleto de poeira, podemos seguir por dois caminhos distintos: podemos nos destruir através da construção e manutenção de uma auto-imagem negativa, em que não nos damos nenhuma chance de crescimento, exigimos muito pouco da vida e de nós mesmos, na certeza de que não merecemos a felicidade, ou nos tornamos arrogantes.
Arrogância é a característica daquele que arroga direitos que não têm, daquela pessoa que tem uma altivez excessiva. Sua energia se concentra na parte superior do corpo, e sua superioridade o distancia de seus irmãos humanos, pois ele se vê e se coloca acima dos demais. No budismo, a arrogância é considerada como uma das "emoções doentias básicas".
Os gregos, que a chamavam "hubris", diziam que esse sentimento é o único que os deuses não perdoam. Humildade perante os deuses é uma virtude antiga.

"Nada em excesso" nem mesmo a auto-perfeição, estava gravado na porta do templo dedicado a Apolo em Delfos, ao lado de "Conhece-te a ti mesmo".
Portanto, a arrogância, que na minha opinião é o sentimento básico de nossa sociedade moderna, deve ser combatida e superada como se combate e supera um inimigo.
Um certo grau de auto confiança é necessário para se chegar a lugares com os quais sonhamos, para atingirmos objetivos estabelecidos para nossa transformação. Muitas vezes essa confiança poderá parecer arrogância, mas no fundo não é. É somente uma alta dose de coragem, necessária àqueles que são líderes, pioneiros, conquistadores.
Porém, é de extrema importância construir um sentimento básico de autoconfiança. Para fazermos uma análise mais aprofundada de nós mesmos, podemos, por exemplo, escrever em um papel quais são os sentimentos que temos dentro de nós que levam a gestos, atitudes ou resultados positivos, e quais os que levam a resultados e atitudes negativas.

Dessa forma, poderemos perceber por onde devemos começar a mudança, o processo de transformação de nossa auto imagem, com o objetivo de construir uma auto estima mais positiva. Você pode, por exemplo, tentar identificar o que faz pensando em você mesmo, com objetivos egoístas, sem ao menos pensar nas conseqüências de suas atitudes com relação aos outros. Ou se as suas atitudes não prejudicam ninguém, ou melhor ainda, se são benéficas para o grupo.
Para que essa avaliação seja eficiente, devemos antes de mais nada, sermos honestos com nós mesmos e com os outros. Quanto mais honestos formos, menos riscos corremos de errar, e menos medo e ansiedade teremos. Quanto mais transparentes nós formos, quanto mais conhecermos e aceitarmos nossos limites, menos ansiedade e mais tranqüilidade teremos, mais confiança em nós mesmos e certamente nossa auto-imagem começará a se alterar positivamente.
Como diz o Dalai Lama: "Em geral, creio que ser honesto consigo mesmo e com os outros a respeito do que se é, ou do que não se é capaz de fazer, pode neutralizar essa sensação de falta de auto confiança".
Se você parar e refletir, e fizer uma avaliação honesta de seus sentimentos e suas atitudes, e buscar conhecer-se e aceitar-se profundamente, sabendo que cada um de nós tem um papel definido na dança cósmica; buscar conhecer suas potencialidades e seus limites, certamente estará trilhando o caminho correto na direção da construção de uma nova auto-imagem e do desenvolvimento de uma mais elevada auto estima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário