Meus amigos

Dicas de Rega da plantas do Jardim

Para aprender a regar é necessária muita observação e aprender com os erros. É o trabalho chave em jardinagem. Aqui temos muitas dicas.

- Não se deve regar com calendário ou por sistema.
Exemplos: 2 vezes por semana, 3 regas ao mês, etc.. A freqüência depende de muitos fatores que terá que ser avaliado caso a caso. Ou seja:
- A pleno sol sempre terá que regar mais que à sombra.
- Ventos secos desidratantes, é necessário regar mais do que as plantas que estão protegidas.
- Um chão arenoso é mais seco que um argiloso que tem mais capacidade para reter água. Pense na areia da praia como um chão extremamente arenoso e sua escassa capacidade de retenção: regue mais freqüentemente.
- Alguns climas são mais chuvosos que outros.
- Em vaso de barro terá que regar bastante - mais do que as plantadas no solo.
- Um exemplar grande ou com muitas folhas transpira mais que um pequeno.
- As espécies originárias de climas úmidos necessitam mais água que as de climas secos.
- Na primavera e verão, quando estão em plena atividade, o consumo é maior que no inverno.
- As espécies recém plantadas pedem mais água porque têm um sistema radicular pouco desenvolvido ainda. Não pode faltar umidade na terra onde há galhos e plantas recém-transplantadas.
- Quando uma planta está em floração necessita água extra.
- Portanto, você deve conhecer as necessidades de cada planta.
- Toque a terra, inclusive cavando um pouco, e verifique que nível de umidade apresenta.
- Regue antes que mostre sinais de murchar.
- A melhor água é a de chuva (sempre que não esteja em uma região contaminada por húmus e poluição).
- A hora mais indicada para regar é de manhã cedo, quando mais cedo, melhor. Se não, ao entardecer. Uma regadora automática com programador é a forma mais cômoda.
Evitar regar durante as horas centrais do dia, quando faz mais calor. As razões são:
- Perde-se mais água por evaporação.

O vento é maior, por isso há mais perdas por evaporação. Além disso, pela ação do vento, a rega é menos uniforme, quer dizer, que em alguns lugares cai mais água que em outros.
- As gotas sobre folhas ou flores em combinação com o sol traz riscos de danos por 'efeito lupa', originando pequenas queimaduras.
- A rega deve ser freqüente desde que a planta tenha até 2 anos. Depois deste período as maiorias de espécies já se estabeleceram na terra e serão capazes de manter-se com menos regas ou inclusive com nenhuma, só com a água de chuva.
- Durante o primeiro ano da plantação, não se deve descuidar da rega, porque ainda as raízes não são profundas.
- Se quiser que uma planta cresça mais rápido, regue e adube mais. Por exemplo: uma palmeira que você queira que desenvolva um tronco o quanto antes ou uma sebe que você quer que feche logo.
- Não molhe as flores porque durarão menos.
- Não molhe as folhas pelo já mencionado risco de queimaduras por 'efeito lupa' com o sol; aparecem manchas por cal e são mais propensas à infecção por fungos.
- Não molhe as folhas que tenham pêlos
- As regas com mangueira ou regador, tem que ser profundas que deixe a água ir até o fundo. É melhor que estar continuamente regando com pequenas quantidades. Além disso a rega mais espaçada favorece o desenvolvimento de raízes potentes.
- Em caso de dúvida, regue quando surjam os primeiros sinais de murchar. Regra geral: melhor pouca água do que água em excesso.
- Cuidado com as terras um pouco argilosas que demoram em secar. Possivelmente tenha que melhorar sua drenagem.
- Evite sempre os encharcamentos prolongados (vários dias).
A REGA EXCESSIVA
A REGA EXCESSIVA tem várias conseqüências:

" As raízes se asfixiam e apodrecem ao faltar o oxigênio. Nestas condições fungos do chão acabam com a planta."

" As raízes se desenvolvem mais superficialmente e portanto, não aprofundam procurando água (para que, se nós estamos regando?). Este fato (raízes superficiais) volta para os vegetais mais sensíveis em caso de seca."

" Arrasta nutrientes minerais em profundidade que se perdem do alcance das raízes. A rega excessiva lava o nitrogênio, potássio, micronutrientes..."

" Saem mais ervas daninhas para aproveitar a abundância de água.
" Estamos desperdiçando um bem escasso como é a água"

Perguntas e Respostas
Tenho violetas em casa e gostaria de replantá-las (trocar de vaso) ,gostaria de saber se elas requerem algum cuidado especial?

Resposta: Para replantar suas violetinhas.Na noite anterior, regue bem as violetas para facilitar o transporte no dia seguinte. Isso feito, assegure-se que o vaso onde você vai colocá-las esteja bem limpinho. Coloque cascalho no fundo do vaso para ajudar a drenagem da água tomando cuidado para não tampar completamente o buraco! Depois cubra com uma parte da terra que você vai utilizar (supomos que você já tenha a terra ideal, adubada corretamente). O próximo passo é retirar cuidadosamente as violetas do vaso, afofando a terra em volta (que vai estar úmida da noite anterior e vai facilitar o processo). Não puxe com força, ok? vá tirando devagar, com paciência.
Segure a planta no centro do vaso enquanto vai enchendo com o resto da terra afofando bem e compactando a terra em volta de forma que cubra as raízes, sem contudo cobrir as folhas da planta. Veja se as plantas ficaram bem firmes. Ah, e não esqueça de fazer essa "operação" na sombra ok?

Pergunta: Gostaria de saber o que faço para minhas violetas florescerem, compro elas lindas com flores depois que as flores caem fico somente com as folhas, e elas não florescem mais.

Resposta: As violetas precisam de alguns cuidados básicos para se manter sadias e produzir uma bonita florada ano após ano. Primeiro, procure colocá-las num local onde recebam muita luminosidade, mas nunca o sol direto. O ideal é que a luz solar seja filtrada pelo vidro de uma janela, por exemplo e até por uma cortina fina. Se receberem luz demais, as folhas ficarão amarelas, com as bordas queimadas. Se elas receberem pouca luminosidade, produzirão apenas folhas e nenhuma floração. Uma boa dica é ir girando o vaso periodicamente, para que toda planta receba luminosidade e cresça uniforme.

Outro cuidado é evitar o excesso de água, pois muita umidade favorece a proliferação de fungos e o surgimento de doenças. Além disso, quando for regar a planta por cima, tente colocar água diretamente sobre a terra, evitando molhar as folhas aveludadas - elas são muito delicadas e podem "melar". Para estimular a floração, forneça alguns nutrientes para sua violeta a cada 15 dias: misture na água das regas um fertilizante de fórmula NPK, apropriado às violetas, que você encontra em lojas de produtos para jardinagem.

REGA DAS PLANTAS DE VASOS DE BARRO E JARDINEIRAS
Falta de água

- Para descobrir quais são os sintomas de falta de água ou de excesso olhe com freqüência o aspecto das folhas, das flores e da planta em geral. No verão terá que estar muito atento.
- Para saber se a planta está com sede, os sintomas são:
- As folhas têm uma cor apagada, sem brilho.
- Enrolam-se.
- Ficam amarelas.
- Caem ou ficam murchas.
- O sintoma mais típico do excesso de água é que as folhas se tornam amarelas e em seguida caem.

Excesso de água
Como saber o grau de umidade do substrato?
- O método mais simples para comprová-lo é colocar o dedo na terra e notar se estiver seco ou úmido. Esta técnica é a fundamental.
- Há quem crava na terra um lápis e ao tirá-lo vê se tiver ficado muita terra aderida nele; isso significa que a terra permanece úmida.
- Outro truque válido para vasos de barro de terracota ou de barro consiste em dar pequenos golpes nela. Se soar oco, é que quer água; se soar maciço, é que está cheia.
- Também, levantar um vaso de barro com ou sem água tem uma diferença no peso.
- No mercado existem instrumentos medidores de umidade que se cravam na terra do vaso de barro e servem como orientação.
- Cuidado porque às vezes a capa superior de terra do vaso de barro pode estar seca enquanto que o fundo contem água estancada, aí mais regas seriam prejudiciais para a planta.

Com que freqüência regar?
Não há "receitas" universais sobre a rega, já que depende das condições particulares de cada planta e lugar.
- O que está comprovado é que o principal engano no cultivo das plantas em vaso de barro, e em concreto nas plantas de interior, é a rega excessiva que apodrece as raízes, todo vaso deve ter um orifício na parte inferior.
- Morrem muitíssimos mais plantas por excesso de água que por falta.
- Lembre-se que terra úmida não quer dizer encharcada!
- Se morrer uma planta, observe em primeiro lugar como está regando (umidade do substrato) e verifique se o recipiente tem o orifício da parte inferior obstruído.
- No caso da rega, é sempre melhor menos do que mais. Diante da dúvida, é melhor não regar e esperar alguns dias.
- Para tentar recuperar uma planta excessivamente regada, tire com cuidado a planta do vaso e envolva-a em varias capas de papel de cozinha absorvente. Deixe assim durante 24 horas. Se as folhas encharcarem, troque por outras novas. Volte a planta no vaso de barro e não a regue durante vários dias.
- A quantidade de água que uma planta precisa depende de suas exigências individuais, do substrato, da quantidade de luz que recebe, da temperatura e da umidade do ar.
- Há plantas que precisam uma rega abundante, outras necessitam de rega regular e outras pouca rega. Por exemplo, precisam de rega abundante: Azaléia, Hortênsia, etc.. Os Cactos necessitam pouca rega e no inverno - zero.
- A planta que tenha folhas grandes e em abundância consomem mais água.
- As mesmas plantas em vaso de barro precisam mais rega que se estão plantadas na terra do jardim.
- Em época de crescimento e de floração as plantas necessitam mais água.
- Se houver vento quente no verão, regue virtualmente diariamente pois se secam em poucas horas.
23. Muitas plantas têm uma época de repouso no ano, que pode ser o inverno. Regue quase nada ou zero neste caso. Os cactos e as clivias são dois exemplos de plantas que não terá que ser regadas no inverno.
- Os vasos de barro perdem mais água por serem porosos.

É bom encher o regador à noite, para que a água esteja a temperatura ambiente quando regar as plantas de interior pela manhã. Deixando-a repousar uma noite faz que perca o cloro por evaporação.
- A rega contínua dos vasos de barro vai lavando os nutrientes minerais que tomam as plantas (Nitrogênio, Potássio, etc.). Isto supõe um empobrecimento do substrato, além dos possíveis encharcamentos.
- Se as plantas estiverem em lugares secos e ensolarados, convém regá-las com mais freqüência; pelo contrário se estiverem em interiores frescos e com pouca luz não é necessária tanta água.
- Não molhe as flores porque durariam menos.
- Verifique a drenagem do vaso, se sai a água pelos buracos inferiores quando rega. Para conseguir uma boa drenagem, ponha no fundo do vaso de barro pedras, pedaços de cerâmica, argila expandida.
- Se tiver vasos de barro na janela, ponha uma capa de cascalho sobre a terra para que a chuva não salpique os cristais.

25 CONSELHOS DE ADUBAÇÃO E FERTILIZAÇÃO
1. Todas as plantas precisam obter os seguintes 13 elementos. Se qualquer um deles faltar por completo, a planta morre:
• Macro elementos: Nitrogênio (N), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (CA), Magnésio (Mg) e Enxofre (S).
• Micro elementos (pequenas quantidades): Ferro (Fé), Manganês (Mn), Zinco (Zn), Cobre (Q), Molibdênio (Mo), Boro (B)e Cloro (Cl).
2. A terra tem todos eles, mas às vezes falta algum (carência) e é necessário acrescentá-los usando fertilizantes.
3. Os fertilizantes repõem os nutrientes extraídos pelas plantas e os perdidos através da água das chuvas e da rega.
4. Os solos arenosos e aqueles que ser regam muito necessitam mais Potássio.
5. Para a brotação e o crescimento, as plantas necessitam mais água e mais Nitrogênio.
6. Adube bem as plantas com fertilizante rico em nitrogênio antes da brotação.
7. Assim que as plantas comecem a desenvolver-se com maior vigor (primavera), comece a fertilizá-las.
8. As plantas, durante o crescimento, necessitam de mais água e mais "alimento". Em floração, as plantas não crescem e portanto, deve-se reduzir a adubação durante essa fase.
9. A floração deve ser estimulada com adubos ricos em Potássio (K).
10. As plantas com flores, árvores frutíferas e ornamentais necessitam adubos ricos em Potássio. Pouco adubo gera plantas com poucos frutos e flores pálidas.
11. Não se deve aplicar, em geral, fertilizantes minerais no inverno, e sim adubos orgânicos (esterco, húmus, etc.).
12. Não se deve adubar uma planta com raízes danificadas ou podres até que se recupere.
13. Aconselham-se adubar hortaliças e frutíferas unicamente com esterco ou adubos naturais. É importante que se aplique o esterco totalmente decomposto, bem fermentado, por exemplo, no inverno.
14. O esterco bem curado, quer dizer, amadurecido, é excelente para as roseiras. Se estiver fresco pode "queimar" às raízes.

15. Aplicar todos os anos adubos orgânicos como o composto caseiro, esterco ou o vermicomposto, também chamado, húmus de minhoca. No caso do esterco, 1 carrinho de mão para cada 10 m2.


16. No mínimo uma vez ao ano deve-se fazer a adubação orgânica (no inverno) ou quando quiser preparar uma plantação, em qualquer época.

17. Com adubos de liberação lenta haverá nutrientes durante 3 meses ou mais.

18. Adube as plantas que florescem anualmente para que continuem florescendo sempre.

19. Use terra ácida para plantas acidófilas como Hortênsia, Azaléia, Gardênia e Camélia.

20. Em caso de usar um fertilizante seco, por exemplo em grânulos, aplique em seguida água abundante.

21. Podem-se adubar as plantas do jardim só a base de adubos orgânicos, como esterco, húmus, composto, húmus de lombriga, esterco de galinha, turba..., o melhor é usar um adubo orgânico do que um adubo mineral.

22. A adubação orgânica se faz no inverno ou outono, estendendo no solo uma capa de 2 ou 3 cm (se for esterco de galinha, muito menos); em seguida se enterra ligeiramente com a enxada.

23. É recomendável que se acrescente à terra ou pulverize sobre as folhas uma vez ao mês quelatos de ferro e outros micro nutrientes a fim de prevenir a carência de ferro e assim obter folhas mais verdes.


24. Adube a grama com 3 aplicações ao ano: primavera, verão e outono.

25. As cinzas de madeira servem como adubo: contém Potássio (K), mas quase nada de Nitrogênio. Pulverize um pouco por cima e incorpore-as lavrando a terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário